terça-feira, 9 de março de 2021

Wandavision fornece uma importante análise sobre luto e o sentimento de perda

A recente série Wandavision do serviço Streaming Disney + nos trás  tema muito difícil, o luto e o sentimento de perda daqueles que amamos e as consequências da não aceitação dessa realidade. A morte chega para todos, de forma natural ou não mas nunca é fácil para aqueles que ficam. Em Wandavision,  Wanda Maximoff a personagem principal criou toda uma realidade a sua volta, para se proteger da dor da perda de seu amado Visão que morreu pelas mãos do vilão Thanos no filme Vingadores Guerra infinita, isso depois da morte de outra pessoa próxima a ela, o irmão Pietro em Vingadores: A era de Ultron. 

Wandavision apresenta além de uma ótima série de suspense,  uma forma de olhar um a tema difícil de maneira inteligente.

 

Negação

Essa construção de uma nova realidade com o Visão "vivo" trás um cenário onde estão casados em uma vida perfeita com casa, empregos e filhos. A negação é uma tentativa de nossa mente de nos proteger e no processo de luto é um dos primeiros estágios. 

 

Fantasia 

A fantasia é também uma forma de autoproteção de nossa mente, assim como a negação ela não aceita a realidade, porém na fantasia além da negação há a substituição.

 

Raiva

Vemos posteriormente Wanda agir de forma agressiva contra aqueles que tentam faze-la desistir da ilusão, libertar as pessoas e voltar para a realidade. A raiva também está presente no processo do luto, uma vez que duro aceitar a dor da nova realidade.


Depressão

No episódio 7 após ter expandido a energia da barreira para salvar Visão e manter a realidade na cidade no episódio anterior Wanda mergulha na depressão não conseguindo levantar da cama ou do sofá, e sem disposição para qualquer atividade, tudo parece confuso e fora de lugar. A depressão é outra fase do luto,  a pessoa começa a entender que não adianta fugir da realidade por meio da negação ou raiva, pois a dor está lá. E quanto mais rápido ela entender isso mais rápido ela chegará a próxima fase do processo de luto: aceitação.

 

Aceitação

A agente Monica Rambeau no episódio 7 confronta Wanda para traze-la a realidade. Rambeau também perdeu uma pessoa. Ao retornar depois de cinco anos em que havia desaparecido devido o estalar de dedos cósmico do Vilão Thanos, ela se encontra em um mundo onde a pessoa mais importante para ela, sua mãe havia morrido. Rambeau compartilha a sua dor com Wanda e diz que a dor já faz parte dela, da nova pessoa que ela é. Agora ela é uma pessoa mais forte por ter passado pela experiência da perda nada mais a abala, e ela quer compartilhar isso com Wanda. Temos que aceitar que pessoas partem de nossa vida e esta dor que fica pode nos destruir ou nos transformar.
 
 
Paradoxo de Teseu e evolução 

 
No último episódio temos a menção do paradoxo de Teseu que simboliza a renovação da personalidade humana no decorrer da existência nos transformando em novas pessoas na jornada de nossa existência. Não poderia ser mais adequado, pois as dores e aflições em nossas vidas são absorvidas e nos transformas em novas pessoas, mais fortes e mais sábias uma vez que compreendemos a necessidade de aceitar.
 

Continuação da Jornada
 
 
No final depois da aceitação da inevitabilidade Wanda descobre sua verdadeira identidade, renascendo como um novo ser místico, e por fim se despede de Visão e seus filhos e parte para a continuação de sua jornada, deixando a cidade para trás, virando uma nova página.


O processo de luto

- choque e incredulidade;

- À medida que a perda é assimilada, a pessoa enlutada aceita a dolorosa realidade da perda;

- Preocupação com a memória da pessoa morta;

- A pessoa liberta-se gradualmente do laço com a pessoa morta;

- Resolução;

- A pessoa enlutada renova seu interesse pelas atividades cotidianas.

 

1º estágio: choque e incredulidade

Pode durar várias semanas, especialmente depois de uma morte repentina ou inesperada;

As pessoas sentem-se perdidas e confusas;

Reações físicas são comuns: falta de fôlego, aperto no peito ou na garganta, náusea e sensação de vazio no abdômen;

O entorpecimento inicial dá lugar a sentimentos esmagadores de tristeza e choro frequente.

 

2º estágio: preocupação com a memória da pessoa morta

Pode durar seis meses ou mais;

A pessoa tenta, mas ainda não consegue aceitar a morte. O viúvo pode reviver a morte de seu par e todo o relacionamento;

De tempos em tempos, pode sentir a presença de seu par, ouvir sua voz e até mesmo ver seu rosto diante de si. Pode ter vívidos sonhos com ele. Essas experiências diminuem com o tempo, mas podem reaparecer;

Os choros continuam, com frequência acompanhados de insônia, fadiga e perda de apetite.

 

3º estágio: resolução

A pessoa enlutada renova seu interesse pelas atividades cotidianas;

As lembranças da pessoa morta suscitam sentimentos de afeição misturados com tristeza, mais do que dor aguda e saudade;

O viúvo/a viúva pode ainda sentir falta de seu par, mas torna-se socialmente mais ativo: sai mais, vê pessoas, retoma antigos interesses e talvez descubra novos interesses;

Embora o processo de luto com três estágios seja comum, não segue necessariamente esse padrão;

Ele pode produzir uma sucessão de altos e baixos emocionais de duração variável, os quais podem com o tempo amainar, porém sem nunca desaparecer completamente.

 

 

“Todo tempo em que pensei estar aprendendo a viver, estive aprendendo a morrer”

Leonardo Da Vinci


 

Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos


E não esqueça de visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo:


Sobreviva a tudo e a todos. Seja o seu próprio Mestre. Autodefesa levada à sério.


 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...