quinta-feira, 25 de março de 2021

Falcão & Soldado Invernal: Por que a terapeuta do Bucky Barnes é uma péssima profissional?

 

A série Falcão e Soldado Invernal da Disney+ em seu primeiro episódio nos trás Bucky Burnes, um herói arrependido de seu passado como agente do grupo terrorista Hydra. Ele está em busca de perdão pelos seus crimes e uma das condições impostas pelo governo é que ele participe de sessões de terapia para demonstrar compromisso em querer mudança. Porém, vemos em determinado momento Bucky perdendo a paciência e falando para a terapeuta: você é uma péssima profissional! Será que ele está certo? Vamos analisar as ações da profissional:
 
Logo no início da sessão a profissional pergunta à Bucky se ele ainda está tendo pesadelos, nada fora do comum já que o trabalho com conteúdo dos sonhos é uma técnica psicanalítica para ajudar o profissional a ter acesso ao inconsciente do paciente para descobrir coisas que o paciente pode não estar revelando de maneira direta por alguma resistência.  Bucky como não gosta de falar de sua época de assassino que o atormenta e das coisas que fez, mente e fala que não está tendo pesadelos, a analista depois de ouvir sua resposta fala: você está mentindo, conheço você já a algum tempo para saber o quanto mente! Na verdade ao fazer isso um profissional na vida real cortaria totalmente qualquer possibilidade de desenvolver uma relação analista/analisado. 

Quando o paciente procura um profissional ele está necessitando de ajuda para poder lidar ou superar alguma forma de sofrimento com questões que não consegue lidar sozinho e tem dificuldade de revelar mesmos nas sessões, precisando de tempo e se sentir seguro para falar com o paciente sobre seus traumas muito pessoais, jamais deve ser confrontado ou colocado contra a parede. 
 
Depois vendo que Bucky continuava sem falar a terapeuta pega o bloco de anotações fazendo o paciente protestar: Já vem com esse lance de pegar o bloquinho, isso é tão passivo agressivo, mostrando que não é a primeira vez que ela toma esta atitude. E a sua terapeuta confirma: se você não fala eu anoto. Mostrando que realmente ela fazia isso para provocá-lo como uma espécie de punição, mais uma vez uma atitude que só afastaria mais o paciente, criando mais resistência, desenvolvendo tensão entre as partes, tornando cada vez mais difícil uma aproximação e relação de confiabilidade analista/analisado.
 
Na sequência ela pede o telefone para ver os contatos de Bucky e fala: Não tem nem dez contatos. Só tem ligações para mim que sou sua terapeuta, e isso é triste! Mais uma vez vemos julgamento, exposição e humilhação do paciente, também uma causa que por si só destruiria a possibilidade do surgimento de uma aliança de confiabilidade, ao contrário só aumentaria o sentimento de desconfiança e retraimento do paciente. E por fim ela pergunta para Bucky o que ele quer e ele responde: Paz! - e ela fala de novo: Mentira! 
 
Lógico que em função do roteiro tudo isso é colocado para reforçar o perfil oculto de Bucky para reforçar que ele tem um passado sombrio não deixando ninguém se aproximar e também para dar um toque de humor que é próprio da série. Mas infelizmente quem procura algum tipo de terapia deve ficar atento por que infelizmente o mercado está cheio de péssimos profissionais como em qualquer área. Nunca aceite qualquer tipo de tratamento que te constranja, caso ocorra saia da sessão e procure um novo profissional. Confiança, respeito, e acima de tudo compreender as limites do pacientes são expressamente importantes e fazem parte da conduta ética do profissional.  
 
Claro que em alguns casos de pacientes muito resistentes que depois de inúmeras sessões não apresente uma evolução na comunicação e se protege em seu silêncio deve haver uma abordagem do profissional e explicar ao paciente que o tratamento não poderá evoluir enquanto ele não conseguir minimamente falar sobre seus problemas. O silêncio do paciente é normal, afinal não é fácil revelar fraquezas, dores e mágoas profundas, mas se durar indefinidamente nas sessões o terapeuta tem que tentar entender o que está acontecendo e abordar esse ponto, e até mesmo caso verificar que não está sendo possível estabelecer um vínculo indicar a procura de um novo profissional para o paciente, para que ele possa talvez se sentir melhor e desenvolver um vínculo de confiança.


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos



E não esqueça de visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo:


Sobreviva a tudo e a todos. Seja o seu próprio Mestre. Autodefesa levada à sério.


 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...