segunda-feira, 15 de junho de 2020

Serial Killers: Jerry Brudos, o Assassino da Luxúria


Jerome Henry "Jerry" Brudos (31 de Janeiro de 1939 — 28 de Março de 2006) foi um serial killer americano e necrófilo, também conhecido como "O Assassino da Luxúria" e "O Assassino do Fetiche de Sapatos". Ele foi julgado e condenado por quatro homicídios perpetrados no estado do Oregon, nos Estados Unidos, entre 1968 e 1969.



Histórico


Brudos nasceu em Webster, Dakota do Sul, e era o mais novo de dois filhos. A sua mãe queria uma menina e ficou descontente quando teve outro filho. Constantemente o menosprezou e tratou com desdém, e abusou dele. Quando criança, Brudos e a sua família mudou-se para casas diferentes no Noroeste do Pacífico, antes de assentarem em Salem, Oregon. Ele tinha um fetiche por sapatos de mulher desde os 5 anos, depois de brincar com sapatos de salto alto numa lixeira. Alegadamente tentou roubar os sapatos da sua professora do primeiro ano. Brudos tinha um fetiche por roupas íntimas de mulher, e dizia que roubava roupas íntimas das vizinhas quando era criança. 


Passou os primeiros 10 anos a entrar e sair da psicoterapia e de hospícios. Começou a perseguir mulher locais enquanto adolescente, batendo-lhes e asfixiando-as até ficarem inconscientes, fugindo com os seus sapatos. Aos 17 anos, raptou e espancou uma jovem mulher, ameaçando esfaqueá-la se ela não cumprisse as suas exigências sexuais. Pouco depois de ser preso, foi levado para a ala psiquiátrica do Hospital Público do Oregon durante 9 meses. Lá, descobriu-se que as suas fantasias sexuais tinham origem no seu ódio e vingança contra a sua mãe e contra as mulheres em geral. Também fez uma avaliação psiquiátrica, e foi-lhe diagnosticado esquizofrenia e extrema misoginia. Apesar de estar institucionalizado, conseguiu graduar-se no ensino secundário com a sua turma de 1957. Pouco depois da sua graduação, Brudos tornou-se técnico de electrônica.

 Esposa de Jerry Brudos.

Em 1961, casou com uma jovem de 17 anos, da qual teve 2 filhos, e assentou nos subúrbios de Salem, Oregon. Ele pedia à sua noiva para fazer os trabalhos em casa nua, excepto calçando um par de saltos altos, enquanto tirava fotos. Foi por volta desta altura, contudo, que ele se começou a queixar de dores de cabeça e perdas de consciência, aliviando os seus sintomas com noites em que roubava sapatos e roupa interior. Ele manteve os sapatos, roupa interior e (durante algum tempo) os corpos das suas vítimas numa garagem na qual não deixava entrar a sua mulher sem ser anunciada ou através de um intercomunicador que Brudos tinha instalado.

Casa de Brudos.

Entre 1968 e 1969, Brudos espancou e estrangulou 4 jovens mulheres. As únicas provas iniciais eram avistamentos de testemunhas de um homem grande vestido com roupas femininas. Na garagem da sua casa de Salem, Oregon, Brudos mantinha troféus das suas vítimas, mais propriamente dois pares de seios amputados que eram usados como pesa-papéis e o pé esquerdo de uma mulher de 19 anos chamada Linda Slawson, a sua primeira vítima, que usou como modelo para os sapatos que roubava. Depois de cometer um homicídio, ele vestia-se com saltos altos e masturbava-se. 

 Vítimas de Brudos.


 Sapatos das vítimas de Brudos.


Jan Whitney, 23 anos, cujo carro quebrou enquanto dirigia para casa da faculdade em novembro de 1968. Brudos mais tarde admitiu estrangular Whitney em seu carro, depois fazer sexo com seu corpo e trazer seu cadáver de volta à oficina, onde continuou violar o corpo por vários dias enquanto pendia de um gancho no teto. Antes de se desfazer do corpo dela, ele cortou o seio direito para fazer um molde com o objetivo de fazer pesos de papel.


Em 27 de março de 1969, Karen Sprinker, 19 anos, desapareceu da garagem de uma loja de departamentos onde iria encontrar a mãe para almoçar. Brudos mais tarde confessou forçá-la a entrar em seu carro com uma arma, e depois levá-la para sua oficina, onde ele a estuprou e a forçou a vestir várias roupas íntimas femininas e posar para fotos. Ele então a matou, pendurando-a no gancho no teto. Assim como suas outras vítimas, ele violou o cadáver dela, depois removeu os seios e descartou o corpo dela.

Linda Salee, 22, tornou-se a próxima e última vítima conhecida de Brudos. Em abril de 1969, ele a sequestrou de um shopping, a levou para sua casa e estuprou e depois a estrangulou até a morte. Como todas as suas vítimas, ele jogou o corpo dela em um lago próximo. Durante a matança de dois anos, Brudos atacou várias outras mulheres que conseguiram escapar. A investigação dos policiais e entrevistas aos estudantes da universidade local levou a Brudos, que descreveu os crimes com detalhes. Ele confessou ter matado Linda Slawson, Jan Whitney, Karen Sprinker e Linda Salee, e foi sentenciado a prisão perpétua.Enquanto estava sob custódia na sede da polícia, Brudos deu uma confissão detalhada dos quatro assassinatos.


Uma busca em sua casa deu à polícia as evidências adicionais necessárias para condenar Brudos por três dos quatro assassinatos. Incluídas nas evidências, várias fotografias que ele tirou de suas vítimas colocadas em sua coleção de roupas íntimas femininas, partes dos cadáveres encontrados em um lago, além de algumas partes do corpo de sua vítima armazenadas em sua casa.







Enquanto esteve preso, Brudos tinha imensos catálogos de sapatos femininos na sua cela, ele escreveu a várias empresas a pedir, e dizia que eram o seu substituto de pornografia. Ele fez inúmeros apelos, incluindo um no qual alegava que uma fotografia tirada a um corpo de uma das vítimas não provava que era culpado, porque não era o corpo de uma pessoa pelo qual tinha sido condenado de matar.

 
Uma busca em sua casa deu à polícia as evidências adicionais necessárias para condenar Brudos por três dos quatro assassinatos. Incluídas nas evidências, várias fotografias que ele tirou de suas vítimas colocadas em sua coleção de roupas íntimas femininas, partes dos cadáveres encontrados em um lago, além de algumas partes do corpo de sua vítima armazenadas em sua casa. Ele foi condenado de três acusações de assassinato e se declarou culpado três dias antes do início do julgamento. Depois de receber três sentenças de prisão perpétua, ele foi transferido para a Penitenciária Estadual do Oregon. Brudos morreu de câncer de fígado em 28 de março de 2006 às 5h10. Ele tinha 67 anos na época.Ele foi condenado e recebeu a pena de morte e uma sentença de prisão perpétua.


Modus Operandi

Os assassinatos de Brudos foram inicialmente inteiramente oportunistas, mas ele começou a evoluir seu MO em assassinatos posteriores. Ele raptava moças de locais públicos e as levava para sua casa. Lá, ele os estrangularia ou os mataria. Depois de matá-los, ele se envolvia em atos de necrofilia com seus corpos e se vestia com as roupas de suas vítimas.


Brudos também guardava troféus de suas vítimas, como um par de seios amputados que eram usados ​​como pesos de papel e um pé esquerdo decepado que ele usava para modelar os sapatos que colecionava. Depois de satisfazer seus desejos com os corpos, ele os despejava nos rios locais, amarrando partes mecânicas para pesá-los.


Cordas utilizadas pnos crimes e camisola de uma das vítimas.



Dúvidas? Sugestões? Deixem nos comentários. E nos ajude a lutar por uma internet livre onde possamos aprender e compartilhar conhecimento, sem restrição. 

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...