sexta-feira, 5 de junho de 2020

Clark Kent ou Lex Luthor: Quem é o verdadeiro Superman?


Será que que o Superman, personagem da DC Comics pode mesmo ser considerado um super-homem como seu alter ego se autodenomina? Lex Luthor seu arqui-inimigo argumenta que o herói Superman seria uma oposição ao potêncial do ser humano comum, uma vez que todos glorificam o herói como um deus, e sua visão moral. Assim, a existência do herói segundo Lex representaria um retrocesso a humanidade, e sua eliminação seria a devolução a humanidade do seu lugar merecido, no ápice da existência no mundo real. 

Na verdade os dois personagens disputam cada um no extremo oposto o seu lugar de representante da humanidade, o tituto de Superman. Mas quem estaria mais próximo disto? Vamos ver nesta matéria.




O Übermensch 


Em 1883, o filósofo alemão Friedrich Nietzsche em sua obra "Assim falou Zaratrusta" defende o Übermensch (O super-homem) como um objetivo para a humanidade se estabelecer. Para Nietzsche o homem comum vivia perdido sob a vontade, as regras e os desmandos do estado, da igreja e de quem tivesse o poder, e seguia as crenças destes, sempre em busca de um mestre para se guiar. O homem guerreiro do início da humanidade foi se perdendo com os advento das instituições sociais (politicas, religiosas, filosóficas) e se tornando um rebanho de ovelhas, sem votade própria vivendo apenas para suprir a necessidade de quem está no comando. Mas ainda assim vivia feliz e sem se opor aos desmandos, pois o seu mundo justo onde será recompensado está a sua espera no mundo do além, o mundo onde os justos seriam recompensados e o mal punido.


Superman sempre sente o peso da responsabilidade da justiça em seus ombros.

Nietzsche aponta que esta forma de controle é utilizada para a manutenção e conformidade da mente do homem fraco que aceita a miséria e sofrimento com orgulho, pois a humildade seria a virtude máxima alcançada pelo homem. Por isso o filósofo alemão aconselha seu público a ignorar aqueles que prometem que a realização em outro mundo longe da terraA moral dos escravos só seria adequada aos homens fracos, àqueles que defendem os valores da compaixão, do não egoísmo, da bondade, justiça e da fraqueza. Os valores aristocráticos (nobres), como a coragem, honra, força e crueldade, são afirmativos da vida e existem por si só, não constituindo uma reação aos valores preconizados pela moral dos escravos. O super-homem idealizado por Nietzsche busca a satisfação neste mundo, traçando metas e estabelecendo conquistas. 

Porém, apesar de repudiar a moralidade social Nietzche invoca um homem além do bem e do mal, um homem justo e perfeito, e assim ele renega o imoral. O personagem Lex Luthor é imoral, apesar de sua argumentação do ideal do homem ele busca autoglorificação, como qualquer psicopata megalomaníaco.


Lex Luthor sempre conseguiu posição de destaque na imagem acima como Presidente dos Estados unidos e abaixo como membro da Liga da Justiça, depois de salvar o mundo.
 
A característica dominante do super homem de Nietzsche seria o amor à  luta e ao perigo, deixando a felicidade para a maioria, os meros humanos normais, assim como faz o herói Clark Kent, pois segundo Nietzsche ao super homem caberia o dever de elevar-se além dos limites estabelecidos pela normalidade, pois nada mais terrível do que a supremacia das massas, ou seja a mediocridade egoísta do homem comum.  Luthor ele se perde da jornada do herói, pois ele acaba sumcubindo a sua sombra interior deixando aflorar os instintos mais nocivos e impios deixando ser dominado pela sua megalomania e comprometendo qualquer ideal nobre que invocou a princípio. Assim, Luthor acaba se tornando aquilo  que acusa o Superman, uma força em busca de adoração, um fraco que vive em torno do próprio ego.

 
Já Clark Kent apesar de estar atrelado a princípios morais e ideológicos como justiça, que a princípio podiamos associa-lo a moral escrava, contudo, ele não tem uma vida contemplativa, ao contrário batalha para transforma-los em real, em conquistá-los, abrindo mão muitas vezes da própria felicidade, como o herói espartano descrito e aclamado tantas vezes por Nietzche.  A sua luta não é para um além mundo melhor mas para este mundo melhor. Honra, coragem e vontade guerreira presentes e destacadas na filosofia  Nietzche estão presentes nas ações de Clark. Apesar de Luthor debochar do herói diversas vezes por ele ser idealista, Clark nunca obedeceu a justiça como instituição, mas como ideal próprio. Luthor ao contrário se utilizou e manipulou instituições diversas vezes para seus planos, chegando até a se tornar presidente mas no final suas ações sempre acabaram o contradizendo, apenas provando ser um homem medíocre que não conseguia enxergar além da própria existência.  


O Superman graças a sua crença na justiça e a sua coragem para batalhar para torná-la real ele se tornou um exemplo e referência para todos os outros heróis da terra.



Obras indicadas:

Livros:



  

Dúvidas? Sugestões? Deixem nos comentários. E nos ajude a lutar por uma internet livre onde possamos aprender e compartilhar conhecimento, sem restrição. 

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...