sábado, 23 de maio de 2020

Perfil Criminal: Zumbis do tráfico



O narcotráfico é a atividade criminosa mais rentável mundialmente, com base em uma pesquisa feita pelo Global Financial Integrity (GFI), um centro de estudos de Washington o tráfico de drogas movimenta mundialmente US$ 320 bilhões. E além disso essa modalidade de crime serve de base para outras derivativas como o tráfico de armas e aliciamento de menores para o crime organizado como soldados. No Brasil são mais de 120 facções criminosas espalhadas por todo território nacional em guerra pelo mercado de venda de drogas. E além disso a droga ainda cria um verdadeiro exército de dependentes que fazem qualquer coisa para manter o vício: furtam, roubam, matam. 

No último atlas da violência publicado em agosto de 2019 o número de homicídios e latrocínio foi  de 65.602, recorde mundial que supera de maneira absurda até países como a Síria com média de 52.000 homicídios por ano. Isso sem falar nas milhares de famílias destruídas tendo um dependente químico em casa e não tendo condições de trata-lo. Esses números a mídia não mostra, preferindo divulgar a luta de ONGs, associações, intelectuais de esquerda e lideranças políticas pelo "direito de uso de drogas para fins recreativos".  Nesta matéria vamos mostrar o perfil do usuário e o como  estas drogas podem afetá-los.


O perfil de personalidade do viciado em drogas


Drogas psicoativas são substâncias químicas que mudam as percepções e os humores mediante alterações no processo cognitivo do cérebro usuário e ainda geram dependência físico e ou psicológica. Usuários que param de consumir drogas psicoativas podem experimentar os indesejáveis efeitos colaterais da síndrome de abstinência. Com a reação do corpo à ausência da substância, a pessoa pode sentir dor física e intensas fissuras, indicando dependência física. Pode também desenvolver dependência psicológica, especialmente por drogas que diminuam o estresse. Com o tempo são necessárias doses cada vez maiores uma vez que o usuário com o tempo vai adquirindo tolerância, e  o efeito reduzido leva o usuário a necessitar de doses cada vez maiores para experimentar o mesmo efeito. Assim a sensação torturante da abstinência pode levar o usuário com o tempo a ações criminosas para manter o seu vício, traficando ou praticando outras modalidades criminosas não se importando com o resultado da mesma desde que obtenha o que precisa para saciar o seu vicio. Não sendo incomum vermos notícias de viciados que chegam a matar membros da família por terem se recusado a lhes fornecer dinheiro.

Categorias de drogas:


As três principais categorias de drogas psicoativas: depressoras, estimulantes e alucinógenas que  atuam no processo racional do indivíduo. Elas estimulam, inibem ou mimetizam a atividade dos próprios mensageiros do cérebro, os neurotransmissores.

Depressores: são drogas como o álcool, os barbitúricos (tranquilizantes) e os opióides, que acalmam a atividade neural e desaceleram as funções corporais;

Estimulantes: como a cafeína e a nicotina temporariamente excitam a atividade neural e incitam as funções corporais. Usam-se essas substâncias para manter a vigília, perder peso ou impulsionar o humor ou o desempenho atlético. Essa categoria de drogas inclui as anfetaminas e os ainda mais poderosos cocaína, ecstasy e metanfetamina (“speed"), que é quimicamente relacionada a sua droga mãe, a anfetamina.

Alucinógenos: Os alucinógenos distorcem as percepções e evocam imagens sensoriais na ausência de estímulos sensoriais (a razão pela qual essas drogas são também chamadas psicodélicas, que significa “manifestação mental”). Algumas, como o LSD e a MDMA (ecstasy), são sintéticas. Outras, incluindo a levemente alucinógena maconha, são substâncias naturais.

Depressão, psicose, deterioração da capacidade motora, queda de capacidade de raciocínio são alguns dos inúmeros sintomas do uso de drogas.


Maconha não faz mal?

Quantas mentiras você já ouviu sobre os divulgadores da bandeira uso recreativo de drogas a respeito da maconha? Mentiras do tipo: cigarro comum faz mais mal que a maconha, maconha relaxa e abre a mente, ou ainda se usada de maneira maneira moderada recreativa não faz mal. E a maior de todas as mentiras que a liberação das drogas acabará com o tráfico contribuindo para a diminuição da violência. Veja abaixo os verdadeiros efeitos da maconha no corpo humano que não verá na mídia. 

Fábrica de criminosos

No Brasil assim como no resto do mundo o tráfico de drogas rende milhões por ano, segundo pesquisas 15 a 20 bilhões. Corrupção do estado, miséria, condições materiais limitadas, famílias desorganizadas por divórcio ou abandono, famílias monoparentais são fatores que colocam o jovem no vulnerável cenário das ruas, onde são facilmente aliciados pelo crime organizado se tornando viciados e ingressando como soldados do tráfico. Como dito no início desta matéria são mais de 120 facções criminosas espalhadas por todo país, e por  dia são recrutados milhares de novos jovens soldados, onde sem qualquer base familiar, moral ou base empática roubam e matam com grande facilidade. 



Ciclo do Homo Criminis


Políticos corruptos contam com a existência da miséria, pois é um terreno fértil para votos e lucros. Uma grande maioria se envolvem com lideres criminosos para conseguir votos junto as comunidades carentes prometendo facilidades aos criminosos junto ao sistema por meio reformas ou de novas leis que causam frouxidão na punibilidade do crime. Não é a toa que nos últimos anos a corrupção se revelou quase uma totalidade entre os governistas à luz da operação lava jato. E também não é a toa que o crime organizado tem crescido e se espalhado de forma tão gigantesca atravessando até mesmo fronteiras intercontinentais.


Tráfico-corrupção


Dúvidas? Sugestões? Deixem nos comentários. E nos ajude a lutar por uma internet livre onde possamos aprender e compartilhar conhecimento, sem restrição. 

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...