quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Ebook: Freud e os Serial Killers - Perfil Criminal e a Psicanálise

 


Nós da UniMARS gostaríamos de agradecer a todos que acompanham o nosso trabalho por tornar possível o lançamento de mais esta obra Ebook: Freud e os Serial Killers - Perfil Criminal e a psicanálise, está é mais uma nova obra que trazemos até vocês combatentes urbanos, e aqueles que tem curiosidade sobre criminalística e psicologia forense. Basta clicar na imagem abaixo e faça download do nosso ebook ou leia online.
 
 
 
 
 

Ou adquira a versão física clicando aqui.
 
 

Por que escrevi este livro?

Meu Nome é Marcos Antônio, muitos me conhecem como Marsurvivor devido a artigos e vídeos que publiquei sobre segurança, criminalística e sobrevivencialismo urbano. Me formei em Direito e me pós-graduei em Direito Penal, Processo Penal, Direito Civil, Processo Civil, Psicologia Forense e Investigação Criminal. Fiz pesquisas junto a presídios durante oito anos, e pude observar que dentre a população carcerária comum formada por homens que cometeram crimes contra o patrimônio alheio, tráfico ou crimes de menor potencial ofensivo, existiam também aqueles que possuíam uma mente predatória. Indivíduos que cometiam crimes bárbaros pelo puro prazer de fazer mal a outra pessoa, ficando felizes em mutilar e matar seus semelhantes. Esses são o que conhecemos vulgarmente como psicopatas.

Com o passar dos anos me adentrei a estudos mais aprofundados, procurando áreas como psicanálise e psicologia, e o resultado é está obra que trouxe até vocês. O que faz uma pessoa se tornar um serial killer? Aqui utilizei o ponto de vista da psicanálise para explicar o desenvolvimento e formação de tal personalidade perversa. Existem verdades que a mídia não mostra, e a maioria da população prefere fingir que não existem, como uma forma de manter uma certa paz interior. Pois é muito inquietante saber que existem seres humanos com perfil predatório entre nós, contudo este não é um fenômeno moderno, a negação da existência destas criaturas como verão na presente obra é muito antigo. Na idade Média os seres humanos preferiam acreditar na existência de monstros como lobisomens, vampiros, bruxas, entre outros, do que nestes homens conhecidos hoje como serial killers. Monstros existem e estão no meio de nós, leia este livro e vislumbre esta realidade.


Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Simbologia do escudo do capitão américa


O icônico escudo do Capitão América é muito mais do que uma arma, é um símbolo. Sendo referido assim inúmeras vezes tanto nos quadrinhos, como no cinema e até na série Falcão e o Soldado Invernal. Inclusive Sam Wilson, alter ego do super-herói Falcão sentiu o peso desse símbolo da série, chegando rejeitar a responsabilidade de ergue-lo no inicio, chegando a se desfazendo do escudo. 

Os fãs de super-heróis sabem que todo herói tem um truque: ferramentas e implementos poderosos que agem como símbolos. Ao contrário dos trajes, esses objetos carregam um significado pessoal de quem são, e não do que desejam ser. Como os deuses da mitologia, os símbolos de nossos heróis têm poder e uma definição romântica para eles. O Cupido e suas flechas expressam as intenções do destino com imagens fálicas. A espada do Rei Arthur afirma que o poder só é herdado pelos escolhidos de Deus.O Escudo de Aquiles e sua representação do mundo.

                          O escudo do Herói Grego Aquiles representa o mundo.

 

Em todas as situações, essas ferramentas falam muito sobre as pessoas que as portam e têm um efeito profundo em nossa compreensão do usuário. E o principal artefato conectado com o Capitão América é definitivamente seu escudo indestrutível, que é sua arma primária e, de certa forma, o logotipo do Capitão América. Mas o que o escudo representa? Vamos nesta matéria fazer um estudo em sua analogia.

 

 Escudo em foco

O escudo do Capitão América é uma das armas mais reconhecidas nos quadrinhos bem como em toda cultura pop. A escolha de um  escudo como a arma de Steve Rogers deixa claro que ele é um defensor. E quaisquer que  modificações feitas no logotipo do Capitão América com o passar do tempo, ele sempre se manteve consistente em termos de esquema de cores. As cores da bandeira norte-americana possui os mesmos valores adotados pelo Capitão. O azul simboliza a “justiça” e a “perseverança”, o vermelho significa o “valor” e a “resistência” do povo americano e o branco representa a “pureza”.

O escudo do Capitão América feito de uma liga metálica especial com vibranium e adamantium é quase indestrutível, sendo um símbolo em vários aspectos da resiliência e sua grande estrela ao centro remete a esperança, uma vez que as estrelas presentes na bandeira americana, assim como nas bandeiras de diversos países como a do Brasil, remetem a ideia a um céu luminoso no meio da noite, escuridão. Não é à toa que a estrela desde antiguidades em mitos e lendas são consideradas como portadoras de boa nova.


Assim como o Mjolnir de Thor, o escudo do Capitão América é uma arma perfeita que normalmente não pode ser usada por outros. Os personagens às vezes são vítimas de suas próprias habilidades e poderes, mas o escudo de Capitão não pode ser usado contra o mestre portador. O escudo adiciona profundidade ao personagem e lhe dá outro ás na manga. Depois de arremessado sempre vai volta para sua mão. Esse uso do escudo é muito parecido com seu senso de justiça: absoluto. O escudo sempre retornará, apesar das leis da física. De muitas maneiras, a iniciação de Rogers jogando o escudo pode ser uma metáfora de seu manto como um herói: um canal de justiça em si. A natureza transcendente deste escudo e sua capacidade de viajar com fluidez pelo campo de batalha são uma reminiscência do patriotismo do Capitão América. Com toda essa simbologia envolvendo justiça e proteção não é por acaso que as poucas ocorrências em quadrinhos da quebra do escudo prenunciaram uma grande tragédia na história, como no arco de história da Guerra Civil.


 

Arquétipos e sentido

No filme "Vingadores: Guerra infinita" o Capitão América ao se colocar como a ultima linha de defesa da Terra entre o Vilão Thanos e a última joia do infinito ele incorporou a própria essência do escudo.
 

Indo mais profundamente na representação psicanalítica e arquetípica o escudo é uma arma e um símbolo inerentemente passivos, embora o capitão o use de maneira única, sendo assim concebido como um meio de defesa e nunca de ataque. A verdade é que o escudo em si é uma arma improvável, não existem arestas vivas e é provavelmente o armamento menos fálico possível, declara equilíbrio e tutela. No contexto da Bíblia o escudo transmite proteção contra o mal e as falsidades. Em combate, é a arma mais importante de Rogers. Para Steve Rogers, Capitão América, isso pode significar sua batalha contínua contra os vilões. Enquanto uma arma fálica, como uma espada, lança, ou arma de fogo simboliza pela teoria freudiana poder e intimidação, ambos traços supostamente “masculinos”, um escudo terá um simbolismo inerentemente feminino. Um escudo é a "antítese" natural da espada: um escudo bloqueia onde uma espada ataca; um escudo salva vidas onde a espada os leva. O escudo é a mãe do pai da espada. Devido aos preconceitos culturais que existem nas culturas patriarcais, as pessoas não são intimidadas pelo escudo por si só. Em vez disso, as pessoas vão se aglomerar nele em busca de conforto e abrigo. Para ser uma ideia quando sonhamos que estamos usando um escudo nosso inconsciente pode estar indicando que estamos muito impotentes psicologicamente em situações que poderiam ser facilmente superadas,  que temos de nos defender e continuar em frente no nosso caminho para superar essas dificuldades.


Assim, por meio do uso de Rogers de uma ferramenta maternal, podemos presumir um relacionamento entre Rogers e sua mãe. Os fãs de quadrinhos que leram a história que saiu originalmente na edição mais recente do CAPTAIN AMERICA # 1 se lembrarão do próprio pai bêbado e abusivo de Rogers, e da mãe de Rogers, que era terna e gentil. Ela protege Rogers do abuso de seu pai. Neste cânone cômico, os pais de Rogers são imigrantes no país e operários de fábrica: duas coisas que representam o sonho americano.

                            Steve Rogers era protegido pela mãe de seu pai abusivo.


O escudo do Capitão América é uma construção não apenas da fé do Capitão América no sonho americano como um protetor. De muitas maneiras, o relacionamento do Capitão América com sua mãe afeta seu futuro como herói, assim o escudo é um reflexo do poder de sua mãe e seus traços femininos naturais de proteção,  o escudo é a  representação arquetípica da "anima" (arquétipo feminino que todo homem possui) como diria o psiquiatra austríaco Carl Jung. A mãe de Rogers veio para a América com o sonho de uma América ideal que mais tarde encontrou.  Então Rogers não escolheu uma arma que visava o poder que poderia cominar em abuso como ocorreu com seu pai, que veio para a América e se afogou na desesperança. Rogers escolheu a esperança que sua mãe tinha: junto com um símbolo contundente que oferecia uma segunda chance para a América.

O escudo é uma visão única de Steve Rogers, embora seja uma parte importante sua, e de quem ele é, há mais elementos introjetado em Rogers. Afinal, Rogers foi escolhido  para ser o Capitão América. Graças ao Escudo, vemos Rogers através dos olhos redondos de sua mãe: como um lutador, sonhador e protetor.

Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos



E não esqueça de visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo:


Sobreviva a tudo e a todos. Seja o seu próprio Mestre. Autodefesa levada à sério.


 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...